10 passos para melhorar a experiência do usuário no seu site

Site é coisa séria. Ele é a porta de entrada de muitos consumidores ao seu negócio. E a gente sabe que a primeira impressão é que a fica. Ou seja: se o visitante entrar e não tiver uma boa experiência, muito provavelmente ele não irá voltar.

E não adiantar acreditar que o site que você construiu com a tecnologia de última geração de dois anos atrás continua sendo um bom cartão de visitas. A tecnologia muda constantemente e o consumidor está cada dia mais exigente. O que era extremamente funcional há pouco tempo, hoje pode ser obsoleto. Ou seja: acompanhar as mudanças frequentes e as novidades do setor garantem que você esteja sempre a frente.

Se você deseja melhorar a experiência do usuário no seu site, confira 10 dicas abaixo para seu site oferecer uma usabilidade incrível para o consumidor:

1. Site responsivo:

Um estudo da comScore aponta que atualmente 63% do tempo gasto dos brasileiros é dedicado aos dispositivos mobile, sendo 185 milhões de minutos em plataformas desse tipo. Por isso, é necessário estruturar um site para que esse funcione perfeitamente em dispositivos móveis, se sua empresa quer oferecer uma experiência melhor de navegação. Pense que, a média de visualizações do smartphone chega a 150 vezes por dia, por isso, todas as páginas devem ser responsivas, da home ao formulário de contato.

Evite: Menus muito longos dificultam a navegação do usuário. Além disso, não permita que o usuário saia do seu site para links externos, por isso, mantenha-o em uma única janela, pois alternar as abas em dispositivos móveis é mais complicado do que no desktop.

2. Design

O design do site deve estar alinhado com o conceito de marca da empresa. Porém, não basta ser apenas bonito, o design do site também abrange a facilidade de realizar ações nele. Observe que você conhece o seu site, pois trabalhou em cima do projeto, mas o cliente não. Por isso, avalie pela ótica do cliente e veja se as páginas oferecem fácil compreensão e navegação intuitiva.

Evite: Promoções, pop-up e muitas mensagens na home do site, pois essa página deve ser destinada às boas-vindas de quem está navegando, principalmente quando o acesso é móvel.

3. Conteúdo

Ao acessar um site, o consumidor deseja encontrar informações sobre sua empresa, seus produtos e serviços, além dos meios de contato. Por isso, o conteúdo deve ser pensado para oferecer informações rápidas e objetivas, contendo categorias e subcategorias bem definidas.

Além da organização das informações, priorizar os meios de contato e deixá-los sempre a vista também deve ser estratégico, pois é mais uma forma eficiente de gerar mais conversão. Sejam eles números de telefone, formulário de contato ou endereço. Invista no “call to action”!

Evite: “Clique aqui”, “contato”, “cadastro” não chamam o usuário para a ação. Aposte em mensagens que chamem o usuário para agir, como “Faça seu cadastro” e “Receba seu e-book”, por exemplo.

4. Velocidade do site

Segundo informações do Google, um usuário hoje não espera, em média, mais do que 4 segundos para que o site carregue totalmente. Dessa maneira, é importante garantir que o site seja construído de forma que as páginas carreguem rapidamente e sem nenhuma espera ao visitante.

Evite: Imagens muito pesadas que demoram para carregar podem irritar o usuário, que tem grandes chances de abandonar o site. Além disso, avalie o servidor que o site está hospedado e na capacidade de processamento das informações. Um atraso de 2 segundos, em média, pode aumentar a taxa de rejeição do seu site em mais de 80%.

5. Filtros de busca

Conveniente para qualquer porte de site, o campo de busca dentro do portal facilita a navegação do cliente, principalmente para usuários móveis que, às vezes, podem ter pressa na busca por informações. É válido ainda implantar preenchimento automático de palavras-chaves e correção gramatical, assim a busca se tornará mais relevante.

Evite: Esconder o campo de busca no menu do site. Quanto mais exposto estiver para o usuário, melhor será sua experiência de navegação.

6. Cadastro

Faça do cadastro um processo natural, sem que o usuário se veja obrigado a passar seus dados para navegar no site. Usar informações que já estão disponíveis para preencher o cadastro e o login social (cadastro utilizando o perfil nas redes sociais) são boas práticas para facilitar a experiência do consumidor. Oferecer informações exclusivas e promoções também podem facilitar nesse tipo de conversão.

Evite: Cadastro na página inicial do site para dar sequência na navegação e menus que dificultam o preenchimento de informações. A inserção de dados deve ser obrigatoriamente projetada para navegação mobile.

7. Formulários práticos

Para ter mais chances de conversão, tenha formulários de contato rápidos, práticos e curtos para o usuário, com as informações que realmente interessam.

Evite: Formulários longos, com preenchimentos de informações desnecessárias. Preenchimentos muito longos intimidam o consumidor, seja pela quantidade de informações como pelo tempo que levará para completar.

8. Imagens

Um site responsivo deve se atentar para os detalhes, pois o usuário móvel certamente perceberá algo de errado. As imagens, por exemplo, devem ser expansivas para que não seja necessário dar zoom para se ter acesso as informações e legendas. Tudo deve se encaixar perfeitamente na tela.

Evite: Uma galeria de fotos em que o usuário não terá como expandir a imagem será ineficiente para a navegação. Em alguns segmentos é comum a utilização de close-ups para visualização de fotos, se a imagem tem detalhes, mas não conta com a tecnologia adequada, o que prejudica a experiência do usuário.

9. Cabeçalhos

Os cabeçalhos das páginas do seu site devem ser bem escritos e estarem de acordo com o que o cliente está procurando. Por isso, as palavras-chaves utilizadas neles e nos títulos devem ser bem planejadas para que os clientes em potencial sejam atraídos. Os mecanismos de buscas também valorizam cabeçalhos bem feitos e seu site pode ter um posicionamento melhor no Google, por exemplo.

Evite: Cabeçalhos muito longos não são eficazes, por isso, ser objetivo e destacar o cabeçalho é essencial para o ranqueamento do site nos mecanismos de buscas.

10. Erro 404

Já imaginou encontrar uma página, mas ao clicar nela aparecer uma mensagem de erro ou página não existente? Os mecanismos de buscas não punirão o site da sua empresa com gravidade, mas o usuário que está em busca de informações pode não voltar mais. Por isso, elimine os erros por meio de testes.

Evite: Não fazer testes nas páginas do seu portal em busca de links quebrados e não ter página para erros que podem acontecer e são inevitáveis, porém, passageiros. Com ferramentas simples e gratuitas é possível encontrar erros e evitar que um usuário não volte mais. Conheça: http://www.brokenlinkcheck.com/ e a ferramenta do Google http://www.google.com/webmasters/tools/

Hoje, o site de uma empresa tem potencial para vender 24 horas por dia, sendo a maior vitrine que qualquer marca pode ter. Por isso, mais que um visual bonito, é preciso ser funcional e atender a dinâmica tecnológica que muda frequentemente para que, assim, o site não fique desatualizado. Saiba mais como otimizar seu site com a Search Optics: www.searchoptics.com.br


Comentários

Nome Completo:*
E-mail:
Comentários:*

Recent Posts