Por que ter um site novo em 2016?

O site da sua empresa é responsivo? Ou seja, se adapta aos diversos formatos de telas dos dispositivos móveis e ainda oferece uma experiência de navegação ágil e eficiente? Se a resposta é não, sua empresa pode estar perdendo clientes para a concorrência. Essa conclusão faz parte de uma pesquisa divulgada pela Social Media Hat, que aponta que 47% dos usuários não voltam a um site que não carrega corretamente em seus dispositivos móveis.

Se o comportamento do consumidor mudou consideravelmente, o principal buscador online do mercado também alterou suas formas de categorizar a qualidade e relevância dos sites. Recentes mudanças no algoritmo de busca do Google passaram a considerar mais relevantes os sites amigáveis a celulares, apresentando queda de 21% em mais de 20 mil endereços não compatíveis com smartphones. Além disso, houve queda abrupta na presença desses sites não responsivos nas três primeiras páginas de busca do Google.

Dados mais evidentes do estudo eMarketer mostram ainda que 68,3% da população do Brasil usará a internet por smartphones em 2016. Dessa forma, é natural que esses usuários precisem de sites que ofereçam uma experiência apropriada para as telas pequenas. Para 2016, é assim que um projeto web deve ser: foco no usuário móvel, que estará conectado durante toda a sua jornada, que abrange desde a fase inicial da pesquisa até sua chegada ao mercado na hora da tomada de decisão.

Através de uma metodologia chamada “Mobile- first”, qualquer empresa, independente de ser ou não do segmento automotivo, pode ampliar sua presença digital por meio de um layout planejado, em primeiro lugar, para usuários de dispositivos móveis. A abordagem mobile-first considera estratégias de conteúdo, design do site e SEO, aumentando o engajamento dos usuários e gerando mais leads às empresas.

A execução de um projeto como foco em mobile-first é desenvolvida em cima de um CMS (Content Management System ou Sistema Gerenciador de Conteúdo), pois permite que as atualizações das informações (textos e banners) sejam feitas pelos próprios colaboradores do negócio, sem necessitar novamente de programadores. Entre as melhores práticas que podem ser consideradas para um projeto neste modelo estão: o formato e interface do site, um portal funcional para atingir resultados, a entrega do que o usuário está procurando através de fácil acesso a conteúdos, além de engajamento e conteúdo relevante e impactante. O passo a passo das estratégias de mobile-first pode ser conferido no link.

Plataforma Blueprint

Desenvolvida pela Search Optics, a plataforma de sites responsivos Blueprint é uma moderna e robusta ferramenta para a indústria automotiva que inclui avançados mecanismos de gestão de estoque, permitindo que as concessionárias de veículos publiquem seus carros com dados detalhados de preços e acessórios. A ferramenta possui alto poder de conversão de visitantes em leads. No último ano, por exemplo, mais de 1.000 clientes da Search Optics que converteram seu site antigo para a plataforma Blueprint atingiram um aumento de 19% nas conversões de visitantes em leads, além de ampliar o engajamento dos usuários com o site. O tráfego orgânico mobile aumentou em média 101% e a taxa de rejeição foi melhorada em 21%. As características, benefícios e resultados complementares da plataforma Blueprint podem ser acessados no link.

Após migrar para uma plataforma responsiva, já imaginou ser capaz de determinar qual canal de marketing está gerando mais ligações para o seu negócio? Facebook ou Google? Mais do que ter um site altamente compatível para dispositivos móveis, apresentar resultados e métricas que comprovem sua eficiência é fundamental para que o cliente tenha transparência sobre seus investimentos em marketing. Através da plataforma Business Intelligence Uptracs, o cliente é capaz de receber todas as fontes de tráfego e determinar o retorno sobre o investimento em cada uma delas. Com plataformas integradas é possível rastrear pontos importantes de conversão, como taxa de rejeição em determinadas páginas que se tornam pontos de saída do site e criar ferramentas avançadas como mapas de calor que mostram onde está o foco dos usuários para dar ênfase nesses locais.

O que não fazer em um projeto

Em um esforço para atender a internet móvel, muitas empresas estão criando sites adaptativos, o que é completamente diferente de um projeto web responsivo. Na verdade, eles são uma versão do site criada para um formato de tela menor. É comum ver sites que começam com “http://m<domínio>.com” e isso indica ser um site adaptativo. É algo que as empresas devem evitar pelas seguintes razões:

- É mais um site para ser criado e mantido;

- Mecanismos de buscas possuem dificuldade em indexar sites diferentes;

- O site adaptativo não irá oferecer a mesma experiência para o usuário que utiliza um PC desktop e depois visita o site em um celular.

De modo geral, empresas que buscam melhores práticas que apresentem resultados comprovados em seus portais devem focar seus investimentos em projetos web altamente eficientes para atender melhor os consumidores que navegam por smartphones. Em 2016, a qualidade da experiência do usuário, o conteúdo impactante do portal da sua empresa, além da estrutura do projeto podem determinar a completa jornada de compra do cliente ou o risco de perdê-lo para o concorrente.

Comentários

Nome Completo:*
E-mail:
Comentários:*

Recent Posts